quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

são sebastião

palaçoulo tem muitas festas e todas as festas são diferentes. são sebastião é a festa de inverno de palaçoulo, a única festa em tempo frio. o dia de são sebastião é dia 20 de janeiro e a festa é no domingo mais próximo. este ano coincidiu, o que tem sempre mais piada.

é uma festa de todo o povo, mas é talvez a festa mais local ou bairrista da terra. no sentido em que o pessoal do rodelão (no sentido da parte de baixo da aldeia, e não apenas da rua do rodelão) lhe tem um carinho especial. é normal, tendo em conta que o próprio santo mora no rodelão, na sua capela que até é mais antiga que a igreja matriz.

mas a principal particularidade e curiosidade da festa de são sebastião tem a ver com o peditório. ou melhor, com as oferendas que são feitas e com o que se faz com elas. em vez de dinheiro, e por ser época de fumeiro, a são sebastião oferecem-se chouriças, chouriços, alheiras, orelhas de porco, pés de porco e outros petiscos, o que nos leva a supor que o mártir também gostava das coisas boas da vida. também lhe oferecem vinho, guindas, azeitonas, bolos e outros acompanhamentos. no final da missa, as ofertas são leiloadas. normalmente, o que acontece é que quem oferece acaba por comprar (em leilão) a sua oferta. mas nem sempre isso acontece e muitas vezes, por picardia ou simplesmente por interesse, alguns lotes são levados a valores altíssimos. quando o leilão começa, o lume já está feito e a mesa já está posta. começam a chegar chouriças e vinho, começa-se a assar, a comer e a provar vinhos. come-se e bebe-se enquanto o leilão dura e bem depois do final, até que as barrigas estejam satisfeitas. quem compra faz o que quer com o lote, mas o que muita gente faz é deixar na mesa comunitária para partilhar. toda a gente pode comer, mas, em princípio, apenas quem compra alguma coisa e deixa na mesa se sente à vontade para participar no lanche ajantarado.
tirando uma certa ostentação que ninguém leva a mal e que o santo agradece, a festa é bonita e o convívio é saudável.

também há baile, com gaita, caixa e bombo e até conjunto, mas o mais importante desta festa são mesmo as chouriças.

já não estava na festa de são sebastião há alguns anos, já passou mais de uma semana, mas ainda não tinha tido vagar de deixar aqui um registo sobre tão tradicional festa e não podia deixar de o fazer.

p.s. por falar em fumeiro, hoje comi bulho ao almoço. devia tê-lo deixado cozer mais quinze minutos, mas estava delicioso.

2 comentários:

Pinante disse...

Como sempre Parreira atento ao que sucede na aldeia, gostei imenso do relato dado que para mim a festa tem um significado especial. Quero dizer posso ouvir a missa da janela...

parreirex disse...

pena não teres estado lá. sempre podias oferecer um copo enquanto se esperava pelo padre. abraço.