terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

o meu primeiro casamento

lembro-me bem do meu primeiro casamento. faz anos por esta altura. mais de vinte, meu deus, mas ainda me lembro. a noiva era mais velha, ou mais experiente, como é de bom tom dizer-se. não foi escolhida por mim, foi escolhida para mim, e foi bem escolhida.
lembro-me também de, após o casamento, ter ido convidar a recém-esposa para dançar na festa que sempre havia na casa do povo ao som de uma aparelhagem. como tinha de ser feito, como a tradição mandava, e apesar da timidez.
lembro-me ainda de, depois de ter pago o vinho, já estar a contar com o casamento, mas só quando ouves o teu nome é que realizas o que está a acontecer. ser casado era um passo importante da juventude, mais um marco para enterrar a garotice. já eras considerado um homem pelos homens. se já te casavam, até já podias casar.
o casamento durou pouco, apenas um ano, mas o primeiro casamento é como o primeiro amor: nunca se esquece.

mas agora as pessoas já não se casam. nem sequer no carnaval. devem ser sinais dos tempos.

Nenhum comentário: